line
logo
Menu

Informativo

16/03 – CROSP orienta profissionais a seguirem orientações do Ministério da Saúde

16/03/2020 às 13:21

Diante do cenário de pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e do aumento de casos confirmados no Brasil, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) reforça a importância de os profissionais da Odontologia acompanharem as recomendações divulgadas diariamente pelo Ministério da Saúde para prevenir a propagação do vírus, além de redobrar as normas de biossegurança indicadas pelos órgãos sanitários.

O CROSP tem acompanhado diariamente as recomendações divulgadas pelo Ministério da Saúde e, até o momento (16/03), não existe nenhuma orientação para suspensão parcial ou total dos serviços odontológicos na rede de assistência pública ou privada. É importante ressaltar que a possibilidade de adoção de restrição parcial ou total na assistência odontológica pública e privada é de competência legal do Ministério da Saúde. No âmbito estadual, é importante acompanhar as recomendações da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

Seguir as comunicações oficiais

Informes sobre o fluxo de atendimento, protocolo clínicos em casos suspeitos e atualizações sobre a situação dos casos estão disponíveis no site do Ministério da Saúde: https://coronavirus.saude.gov.br/

O órgão também realiza diariamente, às 16h, uma coletiva de imprensa para atualizar a situação do Covid-19 no país. A transmissão é feita no perfil oficial do Ministério no Facebook: https://www.facebook.com/minsaude

É possível acompanhar a notificação de casos do Covid-19 na plataforma disponibilizada pelo ministério: http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/ 

Atenção redobrada aos sintomas

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, alguns indivíduos infectados podem não apresentar sintomas, mas, em alguns casos de infecções de vias áreas superiores, os sintomas são semelhantes a um resfriado como febre, coriza, tosse e problemas respiratórios. Em casos graves, assemelham-se a pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

Segundo o órgão, a transmissão do Covid-2019 ocorre de pessoa a pessoa pelo ar (secreções respiratórias do paciente infectado) ou contato com indivíduo infectado. Ou seja, profissionais da Odontologia devem estar atentos aos pacientes que apresentam os sintomas e que estiveram em contato com pessoas contaminadas.

Aos pacientes que relataram sintomas como febre, coriza, tosse e problemas respiratórios, recomenda-se que a(o) profissional não realize o atendimento. 

Suspeita deve ser encaminhada

Em caso de suspeita e com base no relato febre, coriza, tosse e problemas respiratórios, a(o) cirurgiã(o)-dentista deve encaminhar imediatamente o paciente para avaliação médica com o descritivo dos sintomas observados para a realização de exames laboratoriais por biologia molecular para diagnóstico do Covid-2019. 

Medidas para prevenção

Os atendimentos odontológicos podem ocorrer normalmente até o momento (16/03), desde que a(o) profissional siga as normas de biossegurança estabelecidas pelos órgãos sanitários:

  • Isolamento respiratório com o uso de máscaras cirúrgicas N95 ou trocá-la a cada duas horas para evitar a perda da eficácia, no caso de máscaras habituais.
  • Utilizar o uso de avental descartável, luvas e óculos de proteção. O uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) deve ser priorizado.
  • Lavar frequentemente as mãos, principalmente antes e depois de tratar o paciente.
  • Após cada atendimento, realizar a desinfecção de todos os ambientes de trabalho, pois o vírus pode ser transportado pelos aerossóis e sobreviver nessas superfícies por mais de nove dias.
  • Cuidados redobrados com o manuseio de modelos e moldes para efetiva desinfecção.
  • Evitar cumprimentos como beijos ou aperto de mão.
  • Seguir rigorosamente todos os procedimentos do manuseio para limpeza e esterilização dos instrumentais para evitar que o vírus seja propagado.

Informação

Em virtude das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo Coronavírus (Covid-19), o CROSP ressalta que a(o) profissional deve manter a calma e acompanhar as recomendações dos órgãos de saúde e sanitários.

Nos próximos dias, inclua em sua rotina diária a consulta ao site e às redes sociais do CROSP. Qualquer nova determinação de condutas, por parte do Ministério da Saúde ou da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, será prontamente divulgada aos profissionais da saúde bucal.

O CROSP enviará o comunicado acima ao ministro da Saúde, ao secretário da Saúde do Estado de São Paulo, além do professor David Uip, coordenador das ações contra a propagação do Covid-19 do Centro de Contingência no Estado, para solicitar que novas orientações sobre o tema seja imediatamente informada ao CROSP para efetiva divulgação ao profissionais da saúde bucal.

Informativo

16/03 – CROSP orienta profissionais a seguirem orientações do Ministério da Saúde

16/03/2020 às 13:21

Diante do cenário de pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e do aumento de casos confirmados no Brasil, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) reforça a importância de os profissionais da Odontologia acompanharem as recomendações divulgadas diariamente pelo Ministério da Saúde para prevenir a propagação do vírus, além de redobrar as normas de biossegurança indicadas pelos órgãos sanitários.

O CROSP tem acompanhado diariamente as recomendações divulgadas pelo Ministério da Saúde e, até o momento (16/03), não existe nenhuma orientação para suspensão parcial ou total dos serviços odontológicos na rede de assistência pública ou privada. É importante ressaltar que a possibilidade de adoção de restrição parcial ou total na assistência odontológica pública e privada é de competência legal do Ministério da Saúde. No âmbito estadual, é importante acompanhar as recomendações da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

Seguir as comunicações oficiais

Informes sobre o fluxo de atendimento, protocolo clínicos em casos suspeitos e atualizações sobre a situação dos casos estão disponíveis no site do Ministério da Saúde: https://coronavirus.saude.gov.br/

O órgão também realiza diariamente, às 16h, uma coletiva de imprensa para atualizar a situação do Covid-19 no país. A transmissão é feita no perfil oficial do Ministério no Facebook: https://www.facebook.com/minsaude

É possível acompanhar a notificação de casos do Covid-19 na plataforma disponibilizada pelo ministério: http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/ 

Atenção redobrada aos sintomas

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, alguns indivíduos infectados podem não apresentar sintomas, mas, em alguns casos de infecções de vias áreas superiores, os sintomas são semelhantes a um resfriado como febre, coriza, tosse e problemas respiratórios. Em casos graves, assemelham-se a pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

Segundo o órgão, a transmissão do Covid-2019 ocorre de pessoa a pessoa pelo ar (secreções respiratórias do paciente infectado) ou contato com indivíduo infectado. Ou seja, profissionais da Odontologia devem estar atentos aos pacientes que apresentam os sintomas e que estiveram em contato com pessoas contaminadas.

Aos pacientes que relataram sintomas como febre, coriza, tosse e problemas respiratórios, recomenda-se que a(o) profissional não realize o atendimento. 

Suspeita deve ser encaminhada

Em caso de suspeita e com base no relato febre, coriza, tosse e problemas respiratórios, a(o) cirurgiã(o)-dentista deve encaminhar imediatamente o paciente para avaliação médica com o descritivo dos sintomas observados para a realização de exames laboratoriais por biologia molecular para diagnóstico do Covid-2019. 

Medidas para prevenção

Os atendimentos odontológicos podem ocorrer normalmente até o momento (16/03), desde que a(o) profissional siga as normas de biossegurança estabelecidas pelos órgãos sanitários:

  • Isolamento respiratório com o uso de máscaras cirúrgicas N95 ou trocá-la a cada duas horas para evitar a perda da eficácia, no caso de máscaras habituais.
  • Utilizar o uso de avental descartável, luvas e óculos de proteção. O uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) deve ser priorizado.
  • Lavar frequentemente as mãos, principalmente antes e depois de tratar o paciente.
  • Após cada atendimento, realizar a desinfecção de todos os ambientes de trabalho, pois o vírus pode ser transportado pelos aerossóis e sobreviver nessas superfícies por mais de nove dias.
  • Cuidados redobrados com o manuseio de modelos e moldes para efetiva desinfecção.
  • Evitar cumprimentos como beijos ou aperto de mão.
  • Seguir rigorosamente todos os procedimentos do manuseio para limpeza e esterilização dos instrumentais para evitar que o vírus seja propagado.

Informação

Em virtude das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo Coronavírus (Covid-19), o CROSP ressalta que a(o) profissional deve manter a calma e acompanhar as recomendações dos órgãos de saúde e sanitários.

Nos próximos dias, inclua em sua rotina diária a consulta ao site e às redes sociais do CROSP. Qualquer nova determinação de condutas, por parte do Ministério da Saúde ou da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, será prontamente divulgada aos profissionais da saúde bucal.

O CROSP enviará o comunicado acima ao ministro da Saúde, ao secretário da Saúde do Estado de São Paulo, além do professor David Uip, coordenador das ações contra a propagação do Covid-19 do Centro de Contingência no Estado, para solicitar que novas orientações sobre o tema seja imediatamente informada ao CROSP para efetiva divulgação ao profissionais da saúde bucal.