line
logo
Menu

Informativo

Cuidados essenciais com equipamentos odontológicos

04/10/2019 às 10:58

Exercer a Odontologia começa bem antes de receber o paciente em seu consultório. Um dos primeiros passos que a(o) cirurgiã(ão)-dentista deve dar é garantir equipamentos de qualidade e devidamente autorizados.

Para assegurar que sua atuação esteja em conformidade com todas as exigências regulatórias da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) conforme a resolução 02/2010, o profissional de Odontologia deve prestar atenção no maquinário desde a aquisição até a manutenção dos produtos. A ausência dos procedimentos corretos pode implicar em sanções, com pena máxima de R$ 1,5 milhão em caso de infração gravíssima.

A boa prática começa na compra

Antes de adquirir os instrumentos de trabalho, a(o) cirurgiã(ão)-dentista ou clínica devem checar se o fabricante possui os registros e cadastros necessários. A Anvisa orienta que os equipamentos de Odontologia, enquadrados na categoria produtos para saúde, precisam de autenticação na agência, conforme resoluções 185/2001 e 40/2015.

Em alguns casos, também é necessária a Certificação Eletromédica, emitida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), como a cadeira odontológica para paciente, aparelho de corte com rotações diferentes, seringa tríplice, equipamento de esterilização, unidade de sucção, raio-X, tomógrafo, instrumentos para laser, foco de iluminação e peças de mão odontológicas.

Garantia

Ainda no ato da compra, deve-se exigir que a garantia do produto seja expressa no contrato, assim como os prazos para revisão e assistência técnica preventiva, a vida útil do equipamento, a relação de peças e os consumíveis. Em relação à assistência técnica, o fabricante tem como obrigação fornecer o serviço, assim como peças, durante toda a vida útil dos instrumentos.

Caso o profissional de Odontologia opte por contratar assistência técnica ou manutenção não autorizada pelo fabricante, a(o) cirurgiã(ão)-dentista ou clínica deve ter ciência de que incidentes oriundos dessa escolha são de sua própria responsabilidade.

Venda de equipamentos

Ao vender ou comprar equipamentos usados, o profissional de Odontologia deve garantir que os instrumentos tenham sido recondicionados pelo fabricante, conforme prevê a resolução da Anvisa 25/2001.

Quem vende ou compra sem registro ou cadastro na Agência comete infração sanitária grave conforme disposições da lei federal 6.360/76, e está sujeito a penalidades previstas na norma 6.437/77.

Informativo

Cuidados essenciais com equipamentos odontológicos

04/10/2019 às 10:58

Exercer a Odontologia começa bem antes de receber o paciente em seu consultório. Um dos primeiros passos que a(o) cirurgiã(ão)-dentista deve dar é garantir equipamentos de qualidade e devidamente autorizados.

Para assegurar que sua atuação esteja em conformidade com todas as exigências regulatórias da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) conforme a resolução 02/2010, o profissional de Odontologia deve prestar atenção no maquinário desde a aquisição até a manutenção dos produtos. A ausência dos procedimentos corretos pode implicar em sanções, com pena máxima de R$ 1,5 milhão em caso de infração gravíssima.

A boa prática começa na compra

Antes de adquirir os instrumentos de trabalho, a(o) cirurgiã(ão)-dentista ou clínica devem checar se o fabricante possui os registros e cadastros necessários. A Anvisa orienta que os equipamentos de Odontologia, enquadrados na categoria produtos para saúde, precisam de autenticação na agência, conforme resoluções 185/2001 e 40/2015.

Em alguns casos, também é necessária a Certificação Eletromédica, emitida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), como a cadeira odontológica para paciente, aparelho de corte com rotações diferentes, seringa tríplice, equipamento de esterilização, unidade de sucção, raio-X, tomógrafo, instrumentos para laser, foco de iluminação e peças de mão odontológicas.

Garantia

Ainda no ato da compra, deve-se exigir que a garantia do produto seja expressa no contrato, assim como os prazos para revisão e assistência técnica preventiva, a vida útil do equipamento, a relação de peças e os consumíveis. Em relação à assistência técnica, o fabricante tem como obrigação fornecer o serviço, assim como peças, durante toda a vida útil dos instrumentos.

Caso o profissional de Odontologia opte por contratar assistência técnica ou manutenção não autorizada pelo fabricante, a(o) cirurgiã(ão)-dentista ou clínica deve ter ciência de que incidentes oriundos dessa escolha são de sua própria responsabilidade.

Venda de equipamentos

Ao vender ou comprar equipamentos usados, o profissional de Odontologia deve garantir que os instrumentos tenham sido recondicionados pelo fabricante, conforme prevê a resolução da Anvisa 25/2001.

Quem vende ou compra sem registro ou cadastro na Agência comete infração sanitária grave conforme disposições da lei federal 6.360/76, e está sujeito a penalidades previstas na norma 6.437/77.