line
logo
Menu

Informativo

CROSP flagra exercício ilegal da Odontologia em Itaquera

29/04/2019 às 12:35

A Fiscalização do Conselho Regional de Odontologia (CROSP) identificou mais um caso de exercício ilegal da profissão. Desta vez, o fato aconteceu em uma clínica odontológica de Itaquera, bairro da Zona Leste de São Paulo.

Ao chegar ao local, os fiscais constataram que, embora houvesse uma cirurgiã-dentista, o atendimento ao paciente era prestado por um “protético”, prática proibida pela Lei 6.710/79, que cita ser vedado aos Técnicos em Prótese Dentária (TPD) prestar, sob qualquer forma, assistência direta a pacientes.

Após a constatação desta atividade irregular, a Polícia Militar foi acionada e os envolvidos foram conduzidos ao 32º DP em Itaquera, onde os profissionais assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Vale lembrar que o exercício ilegal da Odontologia, mesmo prestado gratuitamente, é um crime previsto no Código Penal, cuja pena varia de seis meses a dois anos de detenção e multa. Por estar regularmente inscrito no CROSP, o denunciado, assim como a cirurgiã-dentista, estão sujeitos às sanções previstas no Código de Ética Odontológica.

É o CROSP zelando pela ética, valorizando a profissão e trabalhando por um atendimento de respeito e qualidade à população.

Informativo

CROSP flagra exercício ilegal da Odontologia em Itaquera

29/04/2019 às 12:35

A Fiscalização do Conselho Regional de Odontologia (CROSP) identificou mais um caso de exercício ilegal da profissão. Desta vez, o fato aconteceu em uma clínica odontológica de Itaquera, bairro da Zona Leste de São Paulo.

Ao chegar ao local, os fiscais constataram que, embora houvesse uma cirurgiã-dentista, o atendimento ao paciente era prestado por um “protético”, prática proibida pela Lei 6.710/79, que cita ser vedado aos Técnicos em Prótese Dentária (TPD) prestar, sob qualquer forma, assistência direta a pacientes.

Após a constatação desta atividade irregular, a Polícia Militar foi acionada e os envolvidos foram conduzidos ao 32º DP em Itaquera, onde os profissionais assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Vale lembrar que o exercício ilegal da Odontologia, mesmo prestado gratuitamente, é um crime previsto no Código Penal, cuja pena varia de seis meses a dois anos de detenção e multa. Por estar regularmente inscrito no CROSP, o denunciado, assim como a cirurgiã-dentista, estão sujeitos às sanções previstas no Código de Ética Odontológica.

É o CROSP zelando pela ética, valorizando a profissão e trabalhando por um atendimento de respeito e qualidade à população.