">
line
logo
Menu

Informativo

Interior paulista tem caso de exercício ilegal da profissão

23/05/2018 às 15:10

A equipe de fiscalização do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) flagrou um caso de exercício ilegal da profissão em Novo Horizonte. O fato, ocorrido em 21.05, foi constatado após denúncias.

No local informado, os fiscais encontraram a suposta profissional em atendimento. Ao ser perguntada sobre sua formação e inscrição no Conselho, informou ser Auxiliar de Saúde Bucal, dizendo ainda que fazia a troca de "ligas" de aparelho ortodôntico com o consentimento do cirurgião-dentista proprietário da clínica, entretanto, sem possuir qualquer inscrição no CROSP.

Um outro profissional que atendia no consultório no momento do flagrante apontou que a secretária realizava o procedimento com a finalidade de agilizar os atendimentos.

Diante da constatação e outras informações coletadas no local, a Polícia Militar do Estado de São Paulo foi acionada e os envolvidos direcionados para a Delegacia de Polícia Civil. O boletim de ocorrência foi apontando o crime do artigo 282 do código penal (exercício ilegal da medicina, arte dentária ou farmacêutica) como consumado.

As denúncias são de grande importância para a constatação do exercício ilegal que traz riscos para a classe odontológica e a população em geral. Casos como este devem ser informados às autoridades policiais e ao CROSP em qualquer seccional ou por meio de carta endereçada à sede, na Avenida Paulista.

Informativo

Interior paulista tem caso de exercício ilegal da profissão

23/05/2018 às 15:10

A equipe de fiscalização do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) flagrou um caso de exercício ilegal da profissão em Novo Horizonte. O fato, ocorrido em 21.05, foi constatado após denúncias.

No local informado, os fiscais encontraram a suposta profissional em atendimento. Ao ser perguntada sobre sua formação e inscrição no Conselho, informou ser Auxiliar de Saúde Bucal, dizendo ainda que fazia a troca de "ligas" de aparelho ortodôntico com o consentimento do cirurgião-dentista proprietário da clínica, entretanto, sem possuir qualquer inscrição no CROSP.

Um outro profissional que atendia no consultório no momento do flagrante apontou que a secretária realizava o procedimento com a finalidade de agilizar os atendimentos.

Diante da constatação e outras informações coletadas no local, a Polícia Militar do Estado de São Paulo foi acionada e os envolvidos direcionados para a Delegacia de Polícia Civil. O boletim de ocorrência foi apontando o crime do artigo 282 do código penal (exercício ilegal da medicina, arte dentária ou farmacêutica) como consumado.

As denúncias são de grande importância para a constatação do exercício ilegal que traz riscos para a classe odontológica e a população em geral. Casos como este devem ser informados às autoridades policiais e ao CROSP em qualquer seccional ou por meio de carta endereçada à sede, na Avenida Paulista.