line
logo
Menu

Câmaras Técnicas

Endodontia


A especialidade é uma área específica do conhecimento, exercida por profissional qualificado a executar procedimentos de maior complexidade, na busca de eficácia e da eficiência de suas ações.

No exercício de qualquer especialidade odontológica o cirurgião-dentista poderá prescrever medicamentos e solicitar exames complementares que se fizerem necessários ao desempenho em suas áreas de competência.

O exercício da especialidade não implica na obrigatoriedade de atuação do profissional em todas as áreas de competência, podendo ele atuar, de forma preponderante, em apenas uma delas.


A COMPETÊNCIA DO ESPECIALISTA EM ENDODONTIA

 

A Endodontia é a especialidade da Odontologia que mais se beneficiou com o avanço técnico e científico, sobretudo na última década, possibilitando oferecer tratamentos mais fáceis, rápidos, seguros e responsáveis.

 

Endodontia é a especialidade que tem como objetivo a preservação do dente por meio de prevenção, diagnóstico, prognóstico, tratamento e controle das alterações da polpa e dos tecidos perirradiculares.

 

As áreas de competência para atuação do especialista em Endodontia incluem:

•          procedimentos conservadores da vitalidade pulpar;

•          procedimentos cirúrgicos no tecido e na cavidade pulpares

•          procedimentos cirúrgicos paraendodônticos; e,

•          tratamento dos traumatismos dentários

 

O avanço técnico científico que tem oferecido maior segurança ao ato odontológico na especialidade vem desencadeando uma série de mudanças no cenário profissional e beneficiando diretamente a sociedade e os especialistas da área.

 

A percepção de que o tratamento endodôntico é inevitavelmente dolorido e demorado vem sendo desconstruída e essa ideia desmistificada. Atualmente, a população tem buscado o tratamento endodôntico com maior tranquilidade, compreendendo a importância e reconhecendo que, na verdade, esse tratamento é uma possibilidade acessível de salvamento do elemento, conservando-o, no limite de suas condições e fragilidades.

 

Os pacientes têm se conscientizado de que perder, ainda que um único dente, por medo ou limitação de recursos, pode representar um prejuízo real à toda saúde bucal e à saúde em geral.

 

BUSCA POR HABILITAÇÃO

 

Sinteticamente, de um lado existem recursos automatizados facilitadores do tratamento e de outro, maior demanda por serviços de quem efetivamente opta pela manutenção de seu órgão dental.

 

O Sistema Único de Saúde, através do Ministério da Saúde, já publicou Manual de Especialidades Odontológicas recomendando as indicações e contraindicações para tratamento endodôntico, a fim de evitar exodontias desnecessárias e, por vezes, injustificáveis.

 

É certo que o cirurgião-dentista possui autonomia para diagnosticar, planejar e executar tratamentos com liberdade de convicção, desde que observado o que prevê a literatura odontológica e a Ciência, a necessidade odontológica do paciente e a indicação terapêutica como único recurso, assim como eventuais alternativas, levando em consideração, ainda, as condições biológicas, sociais e culturais do indivíduo, para que o procedimento terapêutico seja, de fato, em seu benefício.

 

Este contexto vem motivando clínicos, profissionais interessados em aprimoramento e até mesmo especialistas de outras áreas a buscar conteúdo e habilitação na Endodontia.

 

CONVITE À PARTICIPAÇÃO

 

Com vistas a tais mudanças, e em caráter proativo, o Conselho Regional de Odontologia (CROSP) criou a Câmara Técnica de Endodontia (CTE), constituída por profissionais especialistas.

 

É competência da Câmara Técnica de Endodontia o assessoramento ao Conselho, bem como em manifestações oficiais junto à comunidade científica, à população e à imprensa, além da elaboração de materiais informativos. A CTE também atuará na apresentação de propostas e sugestões ao Conselho Federal de Odontologia (CFO) visando o aprimoramento da especialidade, a organização de fóruns e produção de relatórios sobre o rumo da especialidade.

 

Uma das metas de 2014, estreitar as relações com os especialistas, foi cumprida durante o 1º Seminário pela Valorização da Odontologia, realizado de 24 a 26 de abril. Nele, a CTE não só teve a oportunidade de debater com os colegas, como contribuiu para a produção do texto do Pacto pela Valorização da Odontologia - “Carta de São Paulo - 2014”.

 

A Câmara Técnica convida todos os colegas a entrarem em contato, enviando questionamentos, compartilhando ideias e necessidades, críticas e sugestões. Nossa maior missão é ser um canal de proximidade, estando disponível e acessível à todos.


CONTATO

endodontia@crosp.org.br

Portal de Especialidades

Endodontia


A especialidade é uma área específica do conhecimento, exercida por profissional qualificado a executar procedimentos de maior complexidade, na busca de eficácia e da eficiência de suas ações.

No exercício de qualquer especialidade odontológica o cirurgião-dentista poderá prescrever medicamentos e solicitar exames complementares que se fizerem necessários ao desempenho em suas áreas de competência.

O exercício da especialidade não implica na obrigatoriedade de atuação do profissional em todas as áreas de competência, podendo ele atuar, de forma preponderante, em apenas uma delas.


A COMPETÊNCIA DO ESPECIALISTA EM ENDODONTIA

 

A Endodontia é a especialidade da Odontologia que mais se beneficiou com o avanço técnico e científico, sobretudo na última década, possibilitando oferecer tratamentos mais fáceis, rápidos, seguros e responsáveis.

 

Endodontia é a especialidade que tem como objetivo a preservação do dente por meio de prevenção, diagnóstico, prognóstico, tratamento e controle das alterações da polpa e dos tecidos perirradiculares.

 

As áreas de competência para atuação do especialista em Endodontia incluem:

•          procedimentos conservadores da vitalidade pulpar;

•          procedimentos cirúrgicos no tecido e na cavidade pulpares

•          procedimentos cirúrgicos paraendodônticos; e,

•          tratamento dos traumatismos dentários

 

O avanço técnico científico que tem oferecido maior segurança ao ato odontológico na especialidade vem desencadeando uma série de mudanças no cenário profissional e beneficiando diretamente a sociedade e os especialistas da área.

 

A percepção de que o tratamento endodôntico é inevitavelmente dolorido e demorado vem sendo desconstruída e essa ideia desmistificada. Atualmente, a população tem buscado o tratamento endodôntico com maior tranquilidade, compreendendo a importância e reconhecendo que, na verdade, esse tratamento é uma possibilidade acessível de salvamento do elemento, conservando-o, no limite de suas condições e fragilidades.

 

Os pacientes têm se conscientizado de que perder, ainda que um único dente, por medo ou limitação de recursos, pode representar um prejuízo real à toda saúde bucal e à saúde em geral.

 

BUSCA POR HABILITAÇÃO

 

Sinteticamente, de um lado existem recursos automatizados facilitadores do tratamento e de outro, maior demanda por serviços de quem efetivamente opta pela manutenção de seu órgão dental.

 

O Sistema Único de Saúde, através do Ministério da Saúde, já publicou Manual de Especialidades Odontológicas recomendando as indicações e contraindicações para tratamento endodôntico, a fim de evitar exodontias desnecessárias e, por vezes, injustificáveis.

 

É certo que o cirurgião-dentista possui autonomia para diagnosticar, planejar e executar tratamentos com liberdade de convicção, desde que observado o que prevê a literatura odontológica e a Ciência, a necessidade odontológica do paciente e a indicação terapêutica como único recurso, assim como eventuais alternativas, levando em consideração, ainda, as condições biológicas, sociais e culturais do indivíduo, para que o procedimento terapêutico seja, de fato, em seu benefício.

 

Este contexto vem motivando clínicos, profissionais interessados em aprimoramento e até mesmo especialistas de outras áreas a buscar conteúdo e habilitação na Endodontia.

 

CONVITE À PARTICIPAÇÃO

 

Com vistas a tais mudanças, e em caráter proativo, o Conselho Regional de Odontologia (CROSP) criou a Câmara Técnica de Endodontia (CTE), constituída por profissionais especialistas.

 

É competência da Câmara Técnica de Endodontia o assessoramento ao Conselho, bem como em manifestações oficiais junto à comunidade científica, à população e à imprensa, além da elaboração de materiais informativos. A CTE também atuará na apresentação de propostas e sugestões ao Conselho Federal de Odontologia (CFO) visando o aprimoramento da especialidade, a organização de fóruns e produção de relatórios sobre o rumo da especialidade.

 

Uma das metas de 2014, estreitar as relações com os especialistas, foi cumprida durante o 1º Seminário pela Valorização da Odontologia, realizado de 24 a 26 de abril. Nele, a CTE não só teve a oportunidade de debater com os colegas, como contribuiu para a produção do texto do Pacto pela Valorização da Odontologia - “Carta de São Paulo - 2014”.

 

A Câmara Técnica convida todos os colegas a entrarem em contato, enviando questionamentos, compartilhando ideias e necessidades, críticas e sugestões. Nossa maior missão é ser um canal de proximidade, estando disponível e acessível à todos.


CONTATO

endodontia@crosp.org.br